Baixos Preços

segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

Durante a gravidez,  sempre tem alguém perguntando – e opinando – sobre o nome do seu bebê. Mãe, sogra, tios, amigos... todos têm seus nomes preferidos e muitos vão torcer o nariz quando você pronunciar as opções em que pensou.


Além de convencer o pai da criança de que o nome daquele jogador de futebol não é tão sonoro, é preciso lidar com as opiniões e expectativas de uma legião de “torcedores”. Portanto, se você preferir tranquilidade na fase da escolha, tente deixar a discussão o mais restrita possível. Depois, apenas comunique a todos a decisão. 



Especialista em onomástica (estudo dos nomes próprios) e antroponímia (estudo dos nomes de pessoas), a linguista Maria Vicentina do Amaral Dick divide os nomes próprios em dois grupos: os perenes, que são aproveitados sempre, e os de moda, que caem no gosto popular de tempos em tempos. “O que leva à escolha de determinado nome é a emoção, o amor, a familiaridade, as lembranças, a sonoridade. Existem os pais práticos, que vão pelos nomes da moda e não se dão ao trabalho de descobrir os significados, e os que estudam e procuram o que quer dizer pra decidir de acordo com seu modo de pensar”, enumera a estudiosa.

Ela explica que os nomes perenes são principalmente os bíblicos, como Pedro, Lucas, José e Maria. Já os de moda seguem tendências vindas dos livros, do cinema, do rádio e, hoje, principalmente da TV. “Na sociedade, existem picos de nomes simples e complicados. Há poucos anos, quanto mais letras dobradas, sem valor fonético (como “h”), ou pouco usadas (como “y”e “w”), melhor era o nome. Hoje, os simples estão em alta”, analisa.
Antigamente, os cartórios nem registravam nomes grafados de forma incorreta. Eles tinham uma cartilha para consultar e corrigiam antes de escrever no documento. Atualmente, os pais são os únicos responsáveis pelo nome que vão dar aos filhos. 

Os estrangeirismos são um capítulo à parte. “Antes eu considerava errado. Hoje, procuro entender a escolha de cada um. Mas ainda acho que se deve respeitar a grafia do idioma escolhido”, diz. Por exemplo, use “Michael” e não “Maicol”. 


Cuidados básicos 


Alguns pontos devem ser estudados na hora de dar um nome ao rebento. Siga essas dicas: 


- Não leve em conta apenas a sonoridade do nome. Procure conhecer e se identificar também com o significado. 


- Evite formas linguísticas que você não conhece. Por exemplo, nomes japoneses, se você não domina a língua. 



- Pense nos apelidos que aquele nome pode trazer. Talvez você não goste tanto deles e não tem como controlar apelidos. 



- Fale em voz alta o nome e o sobrenome da criança que vai nascer. Veja se a sonoridade entre eles combina. 


- Muito cuidado com nomes exóticos e de difícil pronúncia. Lembre que seu filho vai carregá-lo para o resto da vida. 


- Economize nas letras dobradas e sem função. Elas só vão fazer com que você e seu filho tenham de soletrar o nome mais vezes. 


- Seguir a tradição familiar, dando o nome do pai ou dos avós, é louvável. Mas, se for homenagear duas pessoas, prefira um nome composto à junção de dois nomes. 



- Depois que o nome estiver devidamente decidido, nada impede que você mude assim que olhar para o rostinho do bebê. Essa emoção do primeiro contato deve ser levada em consideração.

Nomes de famosos 



Confira o nome que famosos escolheram para seus filhos e o significado de cada um: 


Benício 

De origem latina, que significa “o que faz o bem”, o nome do caçula do casal de apresentadores Angélica e Luciano inaugura uma era entre globais de nomes simples, como Joaquim , nome do irmão mais velho de Benício. Joaquim tem origem hebraica e quer dizer “Deus construirá”.




Brainpix
Carolina Dieckmann ao lado do filho José

José 
Mais simples do que a escolha de Carolina Dieckmann, impossível. Também de origem hebraica, é bíblico: o nome do pai de Jesus.

Noah 
Depois de uma pesquisa na internet os atores Danielle Winits e Cássio Reis optaram pelo nome de origem hebraica, por significar paz e plenitude. Além do mais, o ex-casal não queria um nome que pudesse ser reduzido em apelidos.

Mano Wladmir 
A cantora Marisa Monte não quis se pronunciar sobre a escolha do nome do seu filho. Para o senso comum ficou acertado que trata-se de uma ode à periferia, onde os rapazes se tratam por “mano”. Já Wladmir significa “soberano da paz” e tem origem russa.

Záion 
Escrito com i, Zion, o nome significa santuário na tradição rastafári. Mas Fábio Junior e Mari Alexandre optaram pela grafia aportuguesada. Se o significado continua o mesmo? Provavelmente. 

Nascimento - Nome do seu Filho



Posso escolher qualquer nome?
O nome é formado pelo prenome (primeiro nome) e sobrenome (nome de família). Assim, por exemplo, João Marcos dos Santos Silva tem como prenome “João Marcos” e sobrenome “dos Santos Silva”. O prenome é de livre escolha, mas não pode expor a pessoa ao ridículo. O prenome pode ser simples (como por exemplo João) ou composto (como por exemplo Maria Alice). O sobrenome deve ser o mesmo dos pais, avós ou outros ascendentes em linha reta.

Posso colocar um sobrenome de meu avô?
Sim, é possível colocar no seu filho um sobrenome do seu avô, ainda que você não tenha esse sobrenome. Nesse caso será necessário apresentar sua certidão de nascimento, para comprovar o sobrenome da família ao Cartório de Registro Civil.
Meu sobrenome é “da Silva”, posso colocar apenas “Silva” no meu filho?
As partículas de ligação no sobrenome, tais como "de" ou "e", estejam no singular ou no plural, no gênero masculino ou no feminino, não são elementos essenciais do sobrenome. Deste modo, podem ser suprimidas ou acrescidas por ocasião da escolha do nome (no registro de nascimento) ou em posteriores alterações de nome permitidas pela lei.
Posso colocar no nome do meu filho Júnior ou Neto?
O uso de Júnior só é possível nos casos em que o nome completo do filho seja igual ao nome de seu pai ou mãe. É o mesmo com as expressões “Filho” e “Neto”, que só podem e devem ser acrescentadas ao nome para que duas pessoas da mesma família não tenham o mesmo nome. 
Posso colocar sobrenome diferente dos outros filhos?
Importante lembrar que o sobrenome identifica a família. Para tanto,  é interessante colocar o mesmo sobrenome em todos os filhos, para que todos os irmãos sejam vistos em igualdade, assim como possam ser identificados como pertencentes a uma mesma unidade familiar. No entanto, não há nenhuma vedação legal para a colocação de sobrenome diversos.
Posso mudar de nome?
O nome, em regra, não é passível de modificações. Excepcionalmente, em casos de nomes ridículos que estejam causando constrangimento ou em casos da pessoa ser muito conhecida publicamente por outro nome, o juiz poderá autorizar a mudança. Nesse caso, é necessário procurar um advogado e formular o pedido ao juiz. Também há casos em que é possível alterar o sobrenome, como por exemplo: por ocasião a) do casamento em que um dos cônjuges acrescenta o sobrenome do outro; b) do reconhecimento de paternidade, em que se inclui o sobrenome do pai no registro do nascimento de seu filho. Durante o período de um ano, após completar a maioridade (18 anos), o interessado pode pleitear administrativamente o acréscimo de um sobrenome de família ao seu nome.



Nenhum comentário:

Cotação do Dolar

Super Oferta Vemmm!!!!

Indicadores Financeiros Diversos

Grande Promoção

Promoção Relampago Nâo Perca

Online no Site

mailorder brides contador de visitas Contatore visite